12 meses em 12 canções # 12/2008

E nada melhor para acabar a colectânea musical do ano, e dar o pontapé no 2008 e um enorme sorriso ao 2009, do que esta magnifica (e diria mesmo, apropriada) canção dos The Walkmen - In the New Year.
Consta por aí que o albúm é referido por algumas publicações especializadas entre os 10 melhores do ano que se finda. Eu já o ouvi e não achei. Mas esta música em particular é realmente formidável.

(Primeira) Resolução de 2009

Em consequência do post anterior
Ir à FNAC comprar o Oracular Spectacular!

Actualização a 2009-01-05
Era bom era, mas é preciso que o raio da coisa não esteja esgotada em tudo o que é sítio, e sem previsão de reposição. Isto começa bem....

12 meses em 12 canções # 11/2008

O som não está definitivamente dos melhores e a imagem também não. Mas escolhi este porque algures entre aqueles braços no ar e corpos a saltar estou eu e o N., no nosso grande regresso aos Festivais de Verão depois dos rebentos.
MGMT - Kids @ Alive'08
Outro dos fortíssimos concorrentes a albúm do ano, que por alguma razão absolutamente estúpida e inqualificável ainda não habita aqui na nossa torre suspensa de Cd's.

Chegou ontem pelo correio

Quando já não tinha qualquer esperança de resposta ainda este ano, eis que surge. Vinha num envelope branco de letras azuis. Quando a vi, por momentos o coração pareceu-me que parou. Sustive a respiração e li. Boas notícias. As notícias esperadas. Quase de imediato senti no corpo o sono que há semanas teimava em não me acompanhar. Ao mesmo tempo que o espírito parecia possuido por uma nova fonte de energia: a esperança.
Chegou ontem pelo correio quando já acreditava que não a veria.
Não chegou pelo Natal, mas veio para anunciar o novo ano.
E traz uma magia invisível, que guardo dentro de mim.

Esclarecimento blogoesférico

Caros Amigos e Amigas, e cibernautas desconhecidos também,
Assim como quem não quer a coisa e para que não terminemos 2008 com eventuais equívocos;
E agradecendo desde já, os comentários do post anterior, serve o presente apenas para vos tranquilizar quanto à minha suposta "preocupação" com a debandada.
Eu não estou (verdadeiramente) preocupada!
Aliás se me preocupasse com as "audiências" e com os comentários, este estaminé já tinha encerrado há muito, por falência técnica.
De vez em quando gosto de espicarçar quem por aí anda, mai nada, e esta coisa do sitemeter (que na realidade nem sequer me dá razões para grande credibilidade) é sempre algo mais a jeito.
Pois que descansem, vocês os 5 que costumam ler assíduamente, e que quando o rei faz anos lá comentam, que os meus disparates, pensamentos, reflexões e outras parvoíces que tal, continuarão, em grande, no novo ano.

Bolas...

que este blog deve andar mesmo fraquinho e desinteressante.
Então logo agora que me aprontava para encerrar o ano com mais de 150 visitas semanais (o que seria para mim um espectáculo) recebo o relatório do sitemeter e descubro que perdi cerca de 1/3 dos meus (in)fiéis leitores?!
Bolas pá, podiam ter dito qualquer coisa! :(

O Cavaco falou ao País

Inicialmente quando ouvi o anúncio da mensagem do Presidente da República ao país, pensei - bolas, finalmente alguém que se lembra de nos apresentar um plano de contigência com vista a evitar o novo albúm do João Pedro Pais. Ganda Cavaco!Imaginem pois a minha decepção quando me apercebi que o assunto em abordagem não era o meu ambicionado, mas sim, e uma vez mais, o Estatuto dos Açores.
Não querendo, nem indo, aqui nas páginas deste blog entrar na discussão político-constitucional inerente à matéria em epígrafe, tenho contudo de afirmar que para mensagens daquele calibre, mais valia estar calado. Tanto desta como da primeira vez!
E se era para falar, que tivesse coragem política para accionar os mecanismos adequados com vista à resolução do "conflito".

Traidores!!!!

Então não é que fui a um meus locais de eleição para almoços rápidos, o Go Natural, e dou com os meus olhos arregalados a olhar para a cozinha onde se encontrava, nada mais, nada menos, do que uma B-I-M-B-Y.
Já não se pode confiar em ninguém!
Está tudo minado daquelas engenhocas diabólicas :S

12 meses em 12 canções # 10/2008

Um fortissimo candidato a album do ano. Um regresso ao rock que me seduz e que traz recordações dum passado recheado de boas aventuras.
Kings of Leon - Sex on fire e o resto do album para ouvir bem, bem alto e dançar até quando as pernas assim o permitirem.

À precaução

Ontem ele ofereceu-me isto:
Depois do que tinhamos cá em casa ter-se pifado, tal o uso que lhe dava nos últimos tempos. Mas assim como quem não quer a coisa, chama-me previamente e diz-me: "Olha eu comprei uma coisa para ti, mas não quero ir parar à casa do cão".
É para que vejam o poder das imagens na net!
Como não foi uma prenda-prenda, e dá-me um jeitaço do caraças, perdoei-lhe a audácia e ainda lhe perspeguei com uma beijoca, mas ... que seja uma vez única! ;)

Revolução de Abril

Morreu hoje Carlos Camilo, um dos Capitões de Abril que tomou de assalto os microfones do Rádio Clube Português, na madrugada que mudou o país, e nos permite hoje as mais significativas glórias e idênticos disparates.
Em sua memória, e porque esta é muito provavelmente uma das melhores canções portuguesas de todos os tempos, e certamente uma das minhas "intemporais" aqui fica E depois do Adeus - Paulo de Carvalho.
E não se esqueçam a democracia faz-se de liberdade, mas sobretudo de Responsabilidade. Connosco e com os outros. Por isso, nas próximas eleições, não optem por ficar quedos e mudos em frente à Tv, pelo passeio ao centro comercial, ou pelo o escaldão na praia. Vão votar!

Ps - Fechem os olhos e concentrem-se nas palavras e na melodia e vão descobrir porque é que esta é uma daquelas músicas, maiores que a vida.
Existem outras, e vou falar delas, brevemente, num post perto de si!

12 meses em 12 canções # 9/2008

Porque nenhuma lista das melhores pode passar ao lado do génio musical de Jack White, aqui ficam os Raconteurs, com Steady as she goes.
Recomenda-se uma viagem pela genialidade da música deste senhor ouvindo os albúns dos White Stripes, onde se encontram algumas das melhores músicas da última década (pessoalmente ponho no topo o Seven Nation Army)

A (melhor) descoberta deste Natal

Foi esta: EARTH WATER
"Todos os dias 6000 pessoas morrem por falta de água potável, na sua grande maioria crianças. A Earth Water oferece 100% dos seus lucros mundiais ao programa de ajuda de água da UNHCR (Agência das Nações Unidas para os refugiados)"
Custa sensivelmente o mesmo que as outras, se é que não é mais barata, vem num pacote todo catita, e mais importante ainda tem um caríz de ajuda solidária.
Vá lá experimentem!
O nome é Earth Water - A água que vale vida.
E não se esqueçam "You never drink alone"
Disponivel em grandes superficies (ou pelo menos no Continente do Oeiras Parque)

12 meses em 12 canções # 8/2008

O triunfo dos betinhos. Talvez entre os melhores do Alive' 08.
Definitivamente entre os 10 melhores albúns do ano.
Vampire Weekend - Cape Cod Kwassa Kwassa

12 meses em 12 canções # 7/2008


A (óptima) descoberta do Alive'08. A confirmação posterior no Coliseu.
Um dos meus discos do ano, mas só porque esteve em absoluto repeat.
Róisin Murphy - You know me better
mas recomenda-se o álbum por completo.

Ontem no Jornal da Noite da SIC

Foi transmitido um importantíssimo, quiça mesmo, indispensável, trecho noticioso sobre os feriados e potenciais "pontes" que o 2009 nos reserva.
Certa que estou, da imensa importância, que um segmento destes poderá ter no principal jornal dum canal televisivo, aliás são destes momentos noticiosos que se fazem as audiências, mais me espantou, quando no decorrer de tão importante peça, o jornalista de serviço nos presenteia com esta preciosidade informativa:
"E em 2009, também a sexta-feira santa calhará a uma (espantem-se!) sexta-feira."
Só tenho pena que não tivesse esclarecido em que dia calhará o Domingo de Páscoa!

12 meses em 12 canções # 6/2008

A boa surpresa trazida pelos ventos frios do Norte da Europa. Mais precisamente da Suécia, um dos meus países de eleição.
O enorme desgosto de não a ter conseguido ir ver ao Super Bock em Stock por causa da crise escarlatinosa que decidiu nos visitar pela mesma ocasião.
Um albúm (definitivamente) de eleição para o ano que está prestes a terminar.
lykke Li - I'm Good, I'm Gonne

Parece-me...

... que os bons principios da cooperação e solidariedade que lhe tentamos ensinar em casa, e se solidificam pelas actividades na escola, começam a dar os seus frutos.
Ontem a M. diz-me: "Sabes mamã, eu já tenho muitos bébes. Há meninos que não tem brinquedos. Se calhar temos de lhes dar alguns dos meus bébes. Tá bem?"
Repito, espanta-me e orgulha-me muitissimo o Ser Humano fantástico em que a minha filha mais velha aparenta se estar a tornar.
Se tudo correr bem continua assim pela vida fora, e a irmã segue-lhe os passos!

12 meses em 12 canções # 5/2008


Já tinha tantas saudades deles!
Portishead - Machine Gun

12 meses em 12 canções # 3/2008

Os únicos capazes de destronar os Last Shadow Puppets
Tv on the Radio e o fantástico Halfway Home
O problema do Dear Science é que as músicas são todas tão boas que se torna dificil escolher só uma. A escolha vai assim em jeito de homenagem ao N. e às músicas capazes de "preencher o espaço"

12 meses em 12 canções # 2/2008



Provavelmente um dos melhores concertos do Optimus Alive'08
40 minutos de loucura electrizante
Gossip - Listen Up!

ÚLTIMO AVISO para Maridos, Namorados, elementos de União de Facto.

Talvez seja de rever a prenda para a vossa cara-metade neste Natal.

Informação preciosa literamente roubada daqui

Espanta-me e Orgulha-me...

O enorme sentido de jusiça, e do que está correcto e incorrecto, que se revela na M.
A imensa ternurna que a I. transporta consigo e que dedica àqueles que ama.

Louca sim, e com todo o prazer!

Ouvido hoje num filme ranhoso, que em breves instante resume (muito) bem isto de sermos pais.
"Preocuparmo-nos com os nossos filhos é sinal duma enorme sensatez. Mas uma sensatez assim pode nos deixar completamente loucos."

12 meses em 12 canções # 1/2008

Em feroz competição interna para um dos melhores álbuns do ano.
The Last Shadow Puppets - The age of the Understatement

12 meses em 12 canções

Inicia-se hoje neste blog uma nova rubrica especialmente dedicada à Música. O seu nome: 12 meses em 12 canções. Mas desenganem-se aqueles que julgam que isto vai ser uma coisa devidamente estruturada por mês de edição ou os melhores do ano ou qualquer outra coisa do mesmo género. Nahh!!!
Será simplesmente a minha selecção das mais marcantes músicas do ano (e condensá-las em 12 já é do caraças!), que por vezes estão directamente associadas a um evento do mês correspondente, outras nem por isso. Muitas até já passaram pelos posts deste blog, mas o seu brilhantismo obriga ao repeat constante.
Espero que gostem e que, eventualmente, vos dê a conhecer outras opções musicais de incrivel (digo eu) qualidade.
Enjoy!!

Prendas perfeitas para pais babados

Feitas por elas, com a ajuda de quem as acompanha diariamente.
Um individual a ser usado no jantar de Natal e um docinho de abóbora com canela e nozes para comer "nas torradinhas, mamã"

Lanches felizes em período pré-natalicio

Eventuais prendas extra para quem conseguir adivinhar em que zona da Cidade de Lisboa lanchámos ontem.

Bimby.o.excluída

Descobri recentemente que devo ser das poucas mães (se não mesmo a única) do infantário das minhas lambisgóias a não possuir uma BIMBY, o tal robot que faz tudo e mais qualquer coisa, à excepção de tirar cafés.
A verdade é que oportunidades para demonstrações do produto, que certamente me faria muito mais feliz (?) , nunca me faltaram, mas existe qualquer coisa no facto de ser proprietária duma máquina com maior capacidade culinária que eu própria, que me faz desgostar da coisa.
É assim uma sensação, como a de me dar por vencida.
E depois como é que eu projectava fazer aqueles bolos que nunca conseguirei fazer, e aqueles estufados que nunca saem bem, e as compotas, e os doces, e as bolachas. Milhentas e milhentas receitas que habitam as prateleiras Ikea da minha cozinha que aguardam com convicção e expectativa o dia em que eu me aventurarei para a sua preparação.
Sim, digam-me lá fieis proprietárias de tal magnifica máquina e os SENTIMENTOS DOS VOSSOS LIVROS DE RECEITAS TRADICINAIS, NÃO CONTAM NÃO?!
Hummmppff modernices!!!

Compensações

Agora já me encontro menos afónica mas em contrapartida as dores de garganta aumentaram... e muito.

Update matinal - nahhh!!! Isto das compensações é uma treta. Pois que voltei a estar praticamente sem voz e as dores não desapareceram.
Ahh!! e para completar chegaram os benditos espirros. E daqueles que quando saem parece que o corpo se vai desmembrar...bonito!

No Top dos Tops

(durante um momento da negociação final)
Rui - Sim, sim. Somos uma "warm-up band".
Elemento não identificado - ...sim ....mas ... e tocam?

Melhor que isto meus amigos não se encontra com facilidade.

E então não é que hoje...

estou a ressacar a falta dos gritos vindos do pavilhão, e o frenesim de nada ter, em Portugal, inicio à hora marcada.
E afinal quando é que entra o Companhia? Isto já devia ter começado!

E agora só para desintoxicar *

* Especialmente dedicada ao Rui que por estes dias (e perante as minhas performances dançantes e, diria mesmo cantantes, dos grandes hits dos 4 taste) duvidou, seriamente, da minha capacidade de gosto alternativo!

Psiuuu- Desculpem lá a imagem ser estática, mas não existia outra versão no youtube. E eu queria mesmo postar esta.

4 dias, 5 concertos

Em Almada, no Pavilhão Desportivo. Quase 10.000 crianças (divididas por 4 dias e 5 actuações) em absoluto estado de delírio natalício. O orgulho de ver nascer, com enorme sucesso, um novo projecto da Germina. Um produto teatro-musical especialmente vocaccionado para os mais novos, um dos nossos público-alvo.
Soltar a franga da música infanto juvenil que há em mim, e cantar, cantar, cantar, e dançar muito, e pular também num óbvio retorno à (minha) infância musical e ao background lírico da minha (ainda fresca) experiência maternal. Deixar de lado a música alternativa e cantar com os nossos "Pulga Maldita" hits com o Noddy, Atirei o Pau ao Gato, Dzert e outros que tais. Ouvir os parceiros de espectáculos, os 4 Taste, e ... sim, é verdade ... conseguir vibrar.
Alimentar-me da magistral energia que as crianças nos transmitem, e voltar mesmo acreditar no Pai Natal.
Obrigada Rui pelo teu magnifico trabalho na condução deste processo.
Os Pulga rocks!!!!!!!!!!

Lembranças
Estes foram eles (x 4 dias x 5 actuações)

Os nossos hiperactivos "Pulga Maldita"


O fantástico "Companhia" de palco, plateia e de backstage


4 Taste, parceiros de espectáculo


Sugestões de Natal #2

Mais uma sugestão para os, eventualmente, atrapalhados com uma possivel selecção de prenda para moi même.
Mundo e Tudo o que Acontece
do Pedro Paixão. Do que folhei ontem à pressa na FNAC, pareceu-me um bom regresso à normalidade poética dos sentimentos e do quotidiano, (na minha opinião) um pouco perdida desde a Noiva Judia, já lá vão uns bons anos.

PS - Estou a ganhar o gosto por isto das sugestões. Se me corre bem, este ano é só encaixar prendas sunpimpas (será que se escreve assim??!!!)

Sugestões de Natal


Quem me conhece sabe que os Comics não são o meu género preferencial de leitura. Nada bate um bom romance ou um policial à moda antiga, mas existem algumas bandas desenhadas que efectivamente me cairam no goto. Não são as mais conhecidas, nem as mais cool, mas garantem momentos de absoluta diversão, e mais, de total reconhecimento das situações.
São assim uma espécie de Raymond Carver em versão de quadradinhos - a vida tal como ela é (bolas, que isto agora pareceu mesmo um momento TVI, Apre!!!!)
Antes da minha versão M. em união de facto (ou mesmo relacionamento estável) a Cathy fazia-me as delicias do reconhecimento, caricaturando as mais tipicas situações da mulher moderna e independente, "desesperada" por um relacionamento com o minimo de pés e cabeça. Assim, uma Bridget Jones nos seus melhores momentos, mas com bastante mais dignidade. Outra que desde sempre que fez dar gargalhadas, daquelas que obrigam a recorrer à bomba de asma, tal é a irregulariedade da respiração, foi (é) o Baby Blues. As peripécias dum jovem casal a braços com a vida a dois, com a vinda do primeiro filho, e quando tudo parecia ir no bom caminho, um segundo.
Este desabafo vem a propósito do lançamento dum novo número do Baby Blues "The Day Phonics Kicked In: Baby Blues Goes Back to School", uma sugestão de oferta de Natal que vos deixo.
Eu já estive com ele na mão... já me ri ... mas ainda não comprei ... Pai Nataaaaaaaallll uhuh!!!

PS: Mas combinem tá ... é que me basta uma edição!

Para ver se animo o esqueleto!

Matas-me com o teu desamor*

AVISO PRÉVIO:
Não se recomenda a visualização no decorrer, ou imediatamente após a ingestão de qualquer alimento. Porquê? É ver para crer.

*Ou Who's gonna save my Soul - Gnarls Barkley

Porque é OBRIGATÓRIO recordar!

Artigo 1º
Todos os seres humanos nascem livres e iguais em dignidade e em direitos.
Dotados de razão e de consciência, devem agir uns para com os outros em espírito de fraternidade.
Artigo 2.º
Todos os seres humanos podem invocar os direitos e as liberdades proclamados na presente Declaração, sem distinção alguma, nomeadamente de raça, de cor, de sexo, de língua, de religião, de opinião política ou outra, de origem nacional ou social, de fortuna, de nascimento ou de qualquer outra situação. Além disso, não será feita nenhuma distinção fundada no estatuto político, jurídico ou internacional do país ou do território da naturalidade da pessoa, seja esse país ou território independente, sob tutela, autónomo ou sujeito a alguma limitação de soberania.
Artigo 3.º
Todo o indivíduo tem direito à vida, à liberdade e à segurança pessoal.
Artigo 4.º
Ninguém será mantido em escravatura ou em servidão; a escravatura e o trato dos escravos, sob todas as formas, são proibidos.
Artigo 5.º
Ninguém será submetido a tortura nem a penas ou tratamentos cruéis,desumanos ou degradantes.

In Declaração Universal dos Direitos do Homem - 60 anos a assegurar a dignidade humana, e o respeito pela diferença.
Obrigatório Recordar!

Questiono-me hoje ...

... se os discursos que oiço vagos, desinteresantes e sem grande qualidade, se assemelham àquilo que os outros ouviam de mim há alguns anos atrás.
É que se assim for dou-lhes TOTAL RAZÃO.

A febre de sexta à noite!

Que por acaso neste caso, até deu os primeiros indícios durante a madrugada e teve continuidade manhã fora. No momento estamos nos 38º, e a tendência manifestada pelo corpinho é de uma subida acentuada.
Nos entretantos, eis-me numa reunião de trabalho (que se percebe está a ser altamente profícua, daí a minha disponibilidade para este post) em que os delírios provocados pela febre ganham contornos verdadeiramente interessantes. Isto depois dos terrores nocturnos que me colocaram junto aos concorrentes do Project Runway, em absoluto pânico porque não ia conseguir acabar o meu "garnment" em tempo útil. Logo eu que nem umas soquetes consigo remendar!

O Hóspede

É, podia muito bem ser o nome dum filme de ficção cientifica.
Ou mesmo nome de filme dum qualquer realizador europeu, tipo daqueles que estiveram a concurso no Estoril Film Festival.
Mas não.
O hóspede veio para passar o fim de semana alargado, mas atendendo ao fenómeno escarlatinoso que assentou arraiais cá na nossa maison (esta é já no espirito das festividades locais. Calma, que a ser tempo darei conta do fenómeno) cá ficou, e só na próxima terça feira regressará ao seu poiso habitual.
Apesar de nervoso, é uma criatura engraçada e até nem é totalmente desprovido de neurónios. Quando ao colo, se lhe aperta a vontade, guincha para que o ponham no chão, e descansadamente trata da aflição do intestino ou da bexiga. Certo é que tem animado as hostes. E até a cadela, antipática por natureza, simpatiza com o nosso hóspede. Se bem que por vezes tenta agarra-lo com a pata, o que para o dito cujo não se assemelha nada com simpatias, mas a verdade é que ela lhe acha graça.
Maior graça lhe acha ainda a I, para quem o hóspede é uma total novidade. Por isso rejubila com as festinhas que lhe faz. A M. já um pouco melhor das suas "pintinhas" também se vai animando com a presença deste amiguinho.
O Hóspede dá pelo nome de Punk, e é um Porquinho da Índia.

(A M. e o punk mesmo antes do ataque das pintinhas vermelhas)

(Quase) no final do Dia 1

só vos digo que depois deste período de quarentena, vou precisar é de férias para descansar a minha cabeça!
AAAAAAAAAAAHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHH!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!
Respira fundo, não mandes o Noddy "com o seu carro amarelo" para aquele sitio malcheiroso que as miudas podem ficar traumatizadas, e pensa que só faltam mais 6 dias enfiada em casa.
BBUUUUUUUÁÁÁÁÁÁÁ´!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!

Nesta semana estamos em Quarentena

A esclaratina tomou de assalto a nossa casa.
Lá se foi a semana de férias cheia de actividades outdoor.
Lá se foi o Festival de Inverno, o concerto da Lykke Li e da Ladyhawke.
A visita às lojas para evitar as enchentes do Natal.
Enfim ... uma semana (pelo menos) enfiados em casa, a recorrer ao máximo da imaginação, para encontrar formas de as distrair, enquanto elas já cansadas de estarem fechadas pedem (ou melhor pede) para ir à escola, para ir à visita que estava programada para hoje (e aquilo que já choramos por não ir), para ir ao baloiço, para tudo o que seja sair de casa e apanhar ar. E nós que queremos tanto dizer que sim, vemo-nos forçados a ter mesmo de dizer que não.

Bolo, Caipirinha e Despedidas Breves

Foi ontem que terminou a minha primeira experiência num workshop de Escrita Criativa.
E acreditem a viagem não foi (pessoalmente) fácil. Passamos a vida a receber elogios à nossa forma de escrever, elogios ao correcto uso da palavra A no sítio B, e de algum modo auto convencemo-nos que temos jeito para a coisa. Ok não somos o máximo, mas safamo-nos bem.
As primeiras semanas serviram bem para desmistificar a coisa.
Sou aquilo que sou. Com textos melhores, outros piores, mas muito aquém da qualidade geral dos meus fantásticos colegas das manhãs de sábado.
Essa percepção não foi obviamente fácil. Nem essa nem a que me revelou ontem que de algum modo, em todas estas manhãs, não achei espaço para me dar realmente a conhecer. Nem sequer naqueles que são os meus mais característicos traços de personalidade: o dinamismo e a pro-actividade.
Adiante.
A realização que há muito mais quem escreva bem, com mais e melhor imaginação, e com a prosa permanentemente fluída (por oposto à minha inspiração consoante o momento, ou a obrigatoriedade de trabalho para cumprir os prazos) confesso que, estiveram quase a levar o melhor de mim. Mas assumi que o compromisso era para ser levado até ao fim, e assim foi.
E ontem, entre fatias de bolo de chocolate com frutos silvestres, caipirinhas e caipiroskas, a hora do fim foi-se aproximando. Fizemos as tradicionais promessas de almoços e jantares de grupo que já sabemos não vão ver a luz do dia, prometemos manter o contacto que o quotidiano acabará por deixar cair no esquecimento, selámos o manifesto que reinvindica nova experiência, prometemos manter aceso o blog, trocámos os últimos sorrisos e partimos cada um rumo ao resto da sua vida.
Fomos desaparecendo a conta gotas, sempre cautelosamente evitando a palavra adeus.
Hoje resta apenas o imenso gosto amargo de saber que existem ali, naquele tão incaracterístico grupo de pessoas, tantas histórias que ficaram por contar, tantos laços que precisavam de mais tempo para se solidificar, mais actividades, mais, mais, mais o que quer que fosse para nos descobrirmos verdadeiramente.
Gostava de acreditar que nos vamos voltar a encontrar em breve, num almoço, num evento, noutro curso, no que seja ... mas a experiência nestas coisas não me deixa grande convicção.
Para os que andam (às vezes) por aí resta-me este momento para vos dizer que ADOREI conhecer-vos (mesmo que não tenha conseguido transmiti-lo)
Até Breve Amigos Criativos!

Levanta-se a Suspensão!

Ou como a vida cá em casa é feita destas coisas, ora um dia vai-se ou no outro nem por isso ...

Os mais loucos corredores de Escrita Criaiva


(Na incapacidade do slide show funcionar pede-se uma ajudinha ao pc clicando nas setinhas à direita. Obrigadinha.)

Quando anunciaram o simulacro em Lisboa, ninguém esperava uma invasão tamanha de carrinhos amarelos, conduzidos aos pares por uns tais de criativos da escrita, que devidamente equipados com uns estranhos capacetes negros ao estilo Calimero goes Black, causaram o pânico dos transeuntes na rota Baixa – Belém, deixando mesmo, em alguns turistas, memórias de difícil esquecimento.
A partida deu-se, na Rua dos Douradores, sede da Go Car Tours, um dos mais conhecidos esconderijos de criatividade da Capital Lisboeta, com concentração prevista junto do Mercado da Ribeira, para alinhamento da mais louca corrida jamais vista pelos alfacinhas, e pelos outros também.
Diz-se que o grupo era liderado por uma tal de GPS de voz melosa, que lhes ia ditando caminhos e comportamentos. Os mais estranhos parecem ter ocorrido face ao Hospital Egas Moniz, onde os corredores lançaram palmas e gritos de “urra” ao galardoado cientista português, incitando os populares ao mesmo comportamento desviante. Já anteriormente, na zona da Av. 24 Julho, mais precisamente junto às instalações do Ministério da Educação, há menção da GPS ter falado do costume português, de “atomatar” os edifícios públicos (Patrocínio - Lugar da Ti Jaquina, “onde o legume é sempre fresco, Mercado da Ribeira, piso térreo)
A situação mais grave, parece contudo ter ocorrido junto aos Jerónimos, onde no auge da corrida, o grupo terá sido abordado pelas autoridades policiais, que invejosos da magnitude, brilho e total incapacidade dos carrinhos amarelos em passarem despercebidos, montaram um verdadeiro cerco policial ao grupo, impedindo a boa continuidade da prova.
Os “pontos negros” foram posteriormente vistos a entrar, em fila indiana (Patrocínio do Tandori Bastami), nos Pasteis de Belém, onde causaram tamanha sensação, que muitos dos turistas foram vistos a abandonar o local de pastel enterrado nos dentes e flyer publicitário na mão, recorrendo a táxis, eléctricos, e na maioria dos casos, às suas próprias pernas, numa estranha corrida em direcção à sede da Go Car Tours.
Segundo relato da Protecção Civil, os corredores, confundidos pela população, com um perigoso grupo de doentes mentais evadidos, não pertenciam ao grupo de figurantes do simulacro.
João Mendes, um dos responsáveis pela GO Car Tours, veio igualmente a público negar responsabilidades remetendo o assunto para as Produções Fictícias, que perante a celeuma confirmaram tratar-se duma necessária ” intervenção à criatividade” dos formandos do Curso de Escrita Criativa.

Em suspensão

Quer me parecer que é assim que se encontra o estágio para o Festival de Inverno!

Absolutamente a NÃO PERDER.

Há muito tempo que queria ir ver este filme, e ontem, uma sequência inesperada de situações, proporcionou finalmente a oportunidade.
E, ainda bem, porque "A Turma" é um filme brilhante!
E é, porque não é um filme sobre os "pobrezinhos dos professores", ou "os desgraçadinhos dos bairros sociais", mas antes um impressionante testemunho de amor (ah pois é!) por parte dum professor de francês dum liceu público dos arredores de Paris, que mesmo confrontado com uma audiência que lhe é frequentemente hostil, com um sistema e colegas que consideram o castigo, a reprovação ou a expulsão a melhor via para solucionar absolutamente nada, e onde os pais são (e, atenção que eu também sou mãe) um dos mais perninciosos elos desta corrente, luta até ao fim das suas forças, e ainda mais além, para dar aos seus alunos aquilo que o traz até ali: Mais e melhores conhecimentos. Sobre Francês, e sobre muito mais.
Mais brilhante ainda se torna, se recordarmos que o François (assim se chama o professor) é mesmo o François, e que os alunos, são mesmo os alunos, e que a maioria dos restantes professores são mesmo professores, e que todos interagem diariamente "Entre les Murs"(título original), aqueles exactos muros que dão corpo e limites geográficos a este poderossíssimo filme - documentário.
E por fim é genial porque é uma enorme prova de que há professores, os verdadeiros, que sabem que a Escola não é só debitar matéria, penalizar quase sempre ou recompensar quase nunca, professores que, contudo, não deixam de ser pessoas, e por isso tambem desesperam, também se excedem, mas que NUNCA desistem dos seus alunos, NUNCA cruzam os braços e procuram SEMPRE deixar uma marca positiva e de esperança na vida dos miúdos que passam pelas cadeiras das suas salas de aula.
Eu posso dizer que tive imensa sorte em conhecer alguns.

Desembaraços Infantis

Passam-se semanas em que nada acontece, e eis que no mesmo dia e com pouquíssimas horas de diferença, são umas atrás das outras.
Ontem, num misto de gargalhadas, gritinhos e brincadeiras várias, dou pela Dona M. a tratar a irmã por "filha". Era "ai, a minha filha", anda cá filha", "filha, filha" e outras variações sobre a mesma matéria. Já considerando que a coisa estava a entrar numa progressão que obrigava à intervenção parental, disse-lhe "M., a I. não é tua filha. Vamos lá acabar com essa conversa."
Nem cinco segundos depois oiço o seguinte:
M. - "I. anda cá minha filha (faz uma pausa introspectiva e longa, olha de soslaio para a mãe) da mãe (conclui em glória)"
AAAAAAAAAAAAIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIII (penso eu, enquanto continuo a passar a ferro)

Estágio Musical para Festival de Inverno


Ladyhawke em lisboa @ 3 Dezembro - Cinema S. Jorge (Sala 1)

Odeio ...

quando ela me leva a melhor!
Depois dum exercício de escrita, e numa tentativa de ser a mãe extremosa que ambiciono ser, elogiei o trabalhinho com um "Parabéns M.". E então não é que a lambisgóia me responde "Eu não faço anos mãe."E vira costas com uma expressão de pena por eu estar gagá.
Olha que esta!

Fait Divers (leia-se fight daivers)

Leio nos jornais que o cérebro dos No Name Boys, ficou detido depois das inquirições, e detecto com surpresa que afinal havia UM cérebro na claque benfiquista. Já não é mau, digo eu. Eis que surge um comunicado de ultima hora por parte da claque. Pensei por momentos que queriam rectificar que os cerebros eram mais que muitos, ou as acusações de traficos vários injustificadas. Mas não. Queriam só esclarecer que afinal não tinham sido 31 os elementos da claque apreendidos pela PJ. Tinham sido (pasmem-se!) 32. E comprovei que realmente só existe mesmo UM cerebro ...e está a fazer-lhes uma falta!

Banda sonora para a passeata

é velhinha ... mas tem um speed genial
ADORO esta música.
No IPOD para amanhã

Os mais loucos corredores de Escrita Criativa

Ah pois é!
Amanhã, a mais louca turma do curso de Escrita Criativa estará, aos pares, e em pleno cerne do simulacro, dentro destes magnificos carrinhos amarelos, a testar não só a boa estrela dos seus deuses pessoais como as suas capacidades criativas em plena catastrofe.
Os nossos principais objectivos são:
1 - Confundirem-nos com os carrinhos do Inem (João)
2 - Tornarmos a competição mais alegre e o que matar mais tipos da protecção civil, leva a bina prometida (Joana)
3 - Testarmos a nossa capacidade de reacção à raiva contida do João Mendes ( que na realidade quer-nos ver a todos de pernil esticado) (Susana)
4 - Sairmos de lá inteiros e irmos ouvir a palestra do Nilton (os formadores Luis e Nuno) - Correcção: Sairmos de lá de que forma for e irmos ouvir a palestra do Nilton.
5 - Ficarmos bonitos no pequeno ecran (a equipa das PFTV que nos vai acompanhar)
5 - Divertirmo-nos e Sermos criativos (todos)
Fica desde já prometida a reportagem fotografica do momento.

Catarina ou o perfil duma personagem por nascer

Catarina tem 14 anos. É morena, tem olhos negros e tez demasiado clara. É baixa para a sua idade e um pouco roliça.
Já é uma mulher, ou assim lhe fazem crer desde que chegou o sangue que mensalmente lhe esventra as entranhas, e filha de pais separados.Vive com a mãe. Uma mulher que não consegue verdadeiramente amar, ciente da fraqueza do seu espírito e da forma fraca como conduziu as suas vidas, desde que o pai abandonou o lar.Com o pai, pouco convive. A relação constrói-se apenas de umas quantas refeições no restaurante próximo do liceu e telefonemas em igual número.De qualquer modo tem poucas boas recordações da presença dele lá em casa. Durante a semana praticamente não o via, em virtude das imensas reuniões, que mais tarde se vieram a descobrir ter nome de mulher. A excepção faz-se do dia em que o viu bater na mãe, a arrastá-la pelos cabelos e colocá-la à porta de casa, na rua, enquanto esta, em perfeito estado de subjugação física e mental apenas lhe gritava “Olha a menina, olha a menina”. Tinha quatro anos, mas ainda guarda a cicatriz do episódio na memória e no joelho esquerdo, que esfrega, com relativo e discreto vigor, sempre que está perto do pai.
Ainda hoje, não compreende como é que a mãe a fez correr ruas e ruelas de Lisboa, em pleno mês de Novembro, sob uma capa de chuva torrencial, à procura daquele cobarde, que lhe batia e as tinha abandonado à mercê dum pequeno papel branco deixado na cozinha sob a fruteira, e no qual rezava apenas “A porta da rua é serventia da casa - palavras tuas”. É também por isso que detesta lugares–comuns e frases feitas.
Já salvou a mãe do suicídio, em pelo menos duas ocasiões, e desconfia de outras tantas tentativas impedidas meramente pela sorte, mas a mãe não lhas confirma.
Passa demasiadas noites acordada, incapaz de compreender o mal que terá feito para este imenso estado de abandono em que se encontra. Pensa em suicidar-se, e tem pesquisado a net à procura da melhor solução.
O pai não lhe deixa faltar o dinheiro. Compensa as omissões de amor por esta via, e Catarina não o contraria. Estas manifestações de imenso amor parental permitem-lhe os prazeres esporádicos do Haxixe e do alcóol com a malta do bairro, com quem não deslumbra afinidades maiores do que as do vício e do rebordo dos copos de shot.
De quando em vez, alinha com a ala mais artistica, e pinta grafittis nas paredes nuas da capela que existe no final da rua. “É a vingança pela vida que me deste!” – grita tão veloz como a tinta espirra da lata de cor vermelha. Adora ler, e a par do livro que diariamente transporta consigo para onde quer que vá, anda o seu caderno Moleskine, capa de cor parda, uma prenda inesperada da única avô que lhe resta, e na qual revê a mulher que um dia, se as forças lhe permitirem, gostava de se tornar, e onde vai dando corpo ao vício de escrevinhar os pensamentos que lhe chegam com uma fluidez tal, que por vezes, mesmo a rapidez da mão já treinada para este exercício não consegue em absoluto transcrever.Quando está sozinha, corta-se. Gosta da sensação de poder e de controlo.A mãe deprimida desconfia de algo, e ultimamente pergunta-lhe com frequência se não gostaria de ir a um psicólogo. Ignora-a, mas desconfia que a recente aproximação do seu pai, tem por base esta preocupação crescente.

E nós vamos perder esta oportunidade?!!

A M. anda, como a maioria dos seus amiguinhos de sala e de escola, entusiamada com a presença do PUNK, o Porquinho da Índia que oferecemos à Sala.
Mas o mais engraçado ocorreu na passada sexta feira, a caminho da escola.
Estamos nós no carro a ouvir a Radar (como quase sempre) e eis que passa o teaser de concerto dos Blood Red Shoes, que se inicia desta forma "Nascidos do movimento punk...", nisto salta a M. com o seu natural tom jocoso e diz "o Punk???!!!! ò mãe tavam a falar do punk, não estavam?".
Foi a risota geral.
O pai aproveitou obviamente o momento para uma breve explicação sobre o género musical.
Vai daí, e porque estas oportunidades não são de descurar, regressaremos em breve ao formato de "injecção musical dos clássicos" nos nossos trajectos matinais.

Já agora (e atendendo que o processo de "cunha" me tem vindo a correr bem) caso haja por aí uma certa educadora com vontade de dar inicio a um projecto de índole musical, existirão sempre uns pais disponiveis para ir apresentar uma selecção de grande qualidade alternativa. Assim, como quem não quer a coisa...

Weekend Song


Le Tigre - TKO (Live)
Bom fim de semana!

10 anos ... Já ... Não pode ser!!!

Ainda me lembro do sentimento nacionalista com que acolhi a noticia da instalação, em Lisboa, da mega cadeia francesa. Na ocasião era uma fiel frequentadora da Valentim de Carvalho Megastore, e as vozes que proclamavam o fim do império português (tal como se veio a confirmar) sobre o espectro da aclamadissima FNAC, sinónimo de variedade, qualidade e visão empreendedora, obrigaram-me a uma resistência forçada.
Verdade seja dita, que não consegui resistir por muito tempo. A atracção a este magnifico mundo de oportunidades era demasiado dificil de superar.
Hoje, dez anos depois, a FNAC já não apresenta o mesmo glamour doutrora. O serviço já não é de superior excelência como foi inicialmente, e os produtos não se encontram tão bem organizados. Hoje, nascem FNAC's como papoilas e já não é (obrigatoriamente) aqui (e só aqui) que encontramos os produtos de culto, e o vendedor que até conhece o que procuramos.
Mas mesmo assim, a FNAC é ainda onde o local primeiro onde procuro a música que ouço. As tendências que não se escutam nas rádios habituais. Aquele livro que mais ninguém conhece. O brilhante filme mainstream. As novidades para as lambisgóias. As prendas para o N.
A FNAC continua a ser dos poucos locais onde (em troca duma generosa fatia do orçamento) saio (sempre) feliz possuidora de prazeres que se repetem, e repetem com renovado vigor.
Por isso, obrigada FNAC pelos 10 anos de música invulgar, de filmes estrangeiros que muitas vezes nem à tela agrada, de livros ... muitos livros que preencheram tardes e noites da minha pós adolescência e vida adulta. Obrigada pelos bilhetes de espectáculo, pelos concertos improváveis, pelos sumos de laranja, manga e papaia, pelos cafézinhos de final de dia.
Obrigada FNAC e parabéns por 10 anos a ajudar a promover a Cultura na minha vida!

Visita Recomendadissíma:

Clique sobre a imagem para aceder ao novo humor português.

"Do Workshop de Humor nasceu uma união improvável. Espectadores de várias derrotas por K.O., cinco obstinados decidiram não desistir sem luta condigna. Arregaçaram as mangas, porque o humor é sujo e trabalhoso, e juntaram ideias, uma câmara datada e maquilhagem do chinês. Guarda-roupa não havia, a qualidade técnica é o que se vê, mas o essencial está lá: vontade de nos exprimirmos, investimento pessoal e muito gozo. A produção do 1º ao último segundo destes sketches é inteiramente da responsabilidade do grupo fixo, de simpatizantes tresloucados e de uma exilada provisória. Tosca, talvez, mas que nos fez ganhar um respeito renovado por quem se mete nestas alhadas, uma novo apreço pelo trabalho em colaboração e muita vontade de fazer rir os outros.
Os Pequenos Burgueses deixaram cada um a sua janela e estão todos empoleirados na mesma varanda. E isto é o que eles vêem."

Tão familiar!!!!

Não sei porquê mas este vídeo é-me tão familiar ... não sei... tem qualquer coisa de sabado pela manhã ... não percebo bem porquê ...Huummmm!!!
Aceitam-se sugestões.

YES WE DID

03h30m. Hora de Lisboa
As primeiras projecções confirmam as expectativas.
Barack Obama é o 44º Presidente dos EUA.
145 anos após abolição da escravatura um negro chega ao topo da política americana.
130 milhões de pessoas foram às urnas (um recorde desde as eleições de 1960)
6% da população americana recenseou-se pela primeira vez.
5 a 7 horas foi em média o tempo de espera nas urnas.

04h00m. Hora de Lisboa.
As projecções reforçam a primeira convicção. A melhor expectativa.
Barack Obama venceu as eleições norte-americanas.
Foi a vitória do "miúdo escanzelado, de nome esquisito, que tinha esperança de que na América havia um lugar para si", foi a vitória do "Change, we need", a convicção do "Yes, We did":
Foi a noite em que começou a "mudança na América".

Expectante na confirmação dos meus desejos, na convicção de que ontem o dia seria (por diferentes razões) um dia a deter na memória, o que mais me impressou, presa às imagens de alegria popular que enchiam o ecrán do televisor, mais do que a imensa panoplia de pessoas, novas, velhas, brancas, de cor, de classe alta ou classe baixa, foi a de um Homem, um Negro, que praticamente em silêncio chorava, e do seu choro mais do os anos de racismo, de falta de oportunidades, anos duma vida difcil e duma falsa equidade social, emanava uma absoluta imagem de ESPERANÇA, de que o futuro será diferente, de que a América e o Mundo amanhã jamais serão o mesmo.

Penso, por vezes, que será uma cruz demasiado grande para um Homem só, para logo me autocorrigir, Obama proclama com convicção, de que a mudança será feita por todos. E esse é o seu melhor segredo.

Yes WE can!
Yes WE did!
Yes WE can still do much more and better!

Adenda 2

VIVÓ SPORTING!!!!!!!!!!!!!!!!!!

Adenda 1

E porque os momentos históricos por vezes surgem sem que nada os possa anunciar, hoje aqui em casa também se viveu momentos históricos de relevante importância.
A I. deu os seus primeiros passos sem qualquer ajuda de pais, mana ou brinquedos de serviços.
Foi a alegria generalizada. Nossa e dela.
Está uma crescida a nossa menina mais pequena!

No dia em que (Espero eu!) se faz História

No Mundo
Deparei-me com a figura do Barack Obama mais ou menos há 2 anos e meio, quando num dia em que não fui ao escritório, e na ânsia do tradicional zapping televisivo, vejo um afro-americano bem parecido e muito bem falante no sofá da Oprah (sim todos nós temos pequenos pecados televisivos ... e os meus não se ficam por aqui, garanto-vos!). A personagem chamou-me de imediato à atenção, não por ser negro, nem por estar no programa da Oprah, mas pela serenidade e consistência de discurso mais facilmente visto (atenção esteriótipo à vista!) num politico europeu do que num Senador Americano.
Associado à imagem confiante e calma, Obama expressava um raciocinio e eloquência que de imediato me remeteu para uma certa mística "kennedy" (não esqueçamos caros leitores da minha formação de ciência política, e um já antigo fascínio pelos burdões políticos). A envolvência do discurso abria asas a uma enorme capacidade em acreditar que a América podia ser um lugar diferente, mais genuinamente tolerante, e receptivo às diferenças culturais existente em solo nacional e além fronteiras.
O entusiasmo pela criatura foi tal, que logo nas conversas dessa noite com o N. lhe falei da personagem, tendo inclusivamente adquirido nessa altura uma edição especial do Mundo Diplomático que trazia um especial sobre Obama, ainda não candidato a candidato, mas já uma expressiva esperança na Capacidade de Mudança.
Nessa altura lembro-me ainda de pensar: "foge era genial se este Homem fosse eleito presidente. Seria o primeiro negro a assumir uma posição política de tamanho destaque em todo o Mundo. Seria um marco histórico irrepetível, daqueles que vão para os livros da Escola e que poderei dizer aos meus netos que vi."
Hoje espero concretizar esse desejo.
Estou confiante na vitória de Barack Obama, estou confiante na Justiça Poética que tal vitória acarreta.
Mas mais do que qualquer outra coisa, estou confiante de que a vitória de Obama relançará sobre o Mundo, mas sobretudo sobre a Europa e os seus cidadãos , a convicção de que podemos TODOS e EM COOPERAÇÃO podemos FAZER MAIS e FAZER MELHOR.
Eu acredito - YES WE CAN!

Cá no recanto
Doutros marcos se falam. Mais concretamente da enorme confiança de que o meu GRANDE SPORTING conseguirá hoje o enorme, e nunca anteriormente alcançado, feito de passar aos oitavos de final da Liga dos Campeões.
Tambem aqui, e não obstante a dispariedade das situações EU ACREDITO fortemente que vai ser possivel uma mudança.

Também aqui me parece propriado confirmar YES WE CAN!

Pensamento do Dia*

Ninguém morre virgem.
A Vida F***-nos a Todos!
Nem mais!

* Sendo o dia o da passada sexta feira.
** Post especialmente dedicado a um importantissimo elemento da equipa educativa do Piloto Diese, comprovando-se que elas não só ensinam bem os nossos filhos como dão importantes lições de vida aos pais mais atentos.
*** Eu gostei e concordo em absoluto!

Nacionalização do BPN


As voltas e voltas que a História permite mas não perdoa, e aqueles que mesmo contra todas as evidências, teimam em negar que o passado espreita a cada esquina ...
Recordo agora, e uma vez mais a proposito dos revés que a História e a Economia nos trazem, uma importante entrevista que fiz por ocasião da minha licenciatura, a um ex- preso político, que em determinado momento me pede para desligar o gravador, que sim que me conta como eram os truques, mas sem gravações, porque "nunca se sabe se a vida volta atrás".
Hoje, o Estado vê-se "obrigado" a nacionalizar um banco para que o colapso financeiro de muitos dos meus concidãos não se torne ainda mais real.
Esperemos que o momento de hoje, não seja o primeiro de muitos, em que a intervenção do Estado ganha contornos indesejáveis para todos nós.
O Mundo não anda bonito, e cabe a nós AGORA MAIS DO QUE SEMPRE, pintá-lo com cores mais alegres!

Em poucas palavras

Local: Coliseu dos Recreios
Data: 30 de Outubro 2008
Performer: Róisin Murphy
Público: Quente, quente
Avaliação: Nota 10 a cair para o 11 (máximo 10)
Pior frase da noite, aquela que ia acabando com a festa mesmo antes dela começar: Ò bébé acho que sim! (proferida pelo casal da fila da frente, cuja figura não se encaixava de todo na ambiance do espaço - tendo-se mais tarde vindo a comprovar que não sabiam ao que vinham, nem quem era a moça exuberante do palco, porque os bilhetes foram oferecidos.)
A pior imagem: Aquela em que os sujeitos acima mencionados teimavam em transferir muco e saliva pelas faces e pescoço um do outro (um horror!!!!)
A constatação: Definitivamente já não tenho pedalada para 2 concertos na mesma semana. E isto mesmo quando o primeiro quase nem deu para aquecer!
Numa palavra: SOBERBO

E se alguma vez se tivessem questionado...

... como seria juntar o génio de Jack White com a voz soul da Alicia Keys, EIS a vossa resposta:

Não sei quem se lembrou de juntar a dupla musical mais improvavel dos últimos anos, mas lá que foi uma brilhante ideia, foi.
Genial! Grande SOM!

EM TOTAL FERTILIZAÇÃO MUSICAL

Depois do concerto das CSS, que uma vez mais optaram por não cantar o badaladissimo Superafim (aliás em 3 concertos no nosso país nem uma única vez o tema entrou no alinhamento), hoje é novamente dia de fertilização musical com o aguardadissimo concerto de Róisin Murphy.
Para quem possa estar mais distraído, Róisin era a voz dos extintos Moloko, que a solo, e não obstante uma clara derivação para a zona exclusiva do dance e house music, se supera numa performance vocal e cénica deslumbrante (pelo menos assim foi no Optimus Alive, onde muitos dos presentes mesmo sem conhecerem os seus trabalhos anteriores se renderam ao Espectaculo no seu pleno).
É o que espero que aconteça hoje!
Que seja tão bom, tão bom que até me esqueça do vírus gripal que insiste em me atacar em momentos de animação musical.
Irra que a velhice chateia!

Para que não restem dúvida cá fica o aperitivo ...

Núcleos familiares em expansão *

Eu cá não sei o que lhes fazem na escola, mas ontem fui presenteada com mais esta maravilhosa pérola da minha filha maior: a sua nova familia versão escola
M. - Mãe
D. - Pai
P. - filha
J. - o bébé
PA - avô 1
T. - avô 2
M. - avó 1 (tambem designada por vó zete, e a que faz de mãe da minha M.)
M(a nova aquisição vinda da sala da A) - avó 2

Sem mais palavras ...
Isto desde que começou os projectos dos bébés anda num corropio jeitoso ....

* Inês, se houverem dúvidas depois posso explicar presencialmente as criaturas envolvidas nesta trama. E já agora aqui reside também a explicação para os abracinhos ontem ao J. "Eram miminhos ao meu bébé" (dito entre risota malandra).

I'm Back!!!!!!

Depois de dias a fio a pensar em FEIRAS, FEIRAS, FEIRAS e STANDS, STANDS, STANDS, eis-me de volta à blogsfera.
Hoje, apenas para vos recordar que é dia de animação nocturna para o casal pré meia-idade (e não, não é desse tipo de animação nocturna, que essa ainda não precisa data previamente marcada ... seus malandros) com participação activa (espera-se!) no concerto das Cansei de Ser Sexy.
Ora cá ficam elas para aguçar o apetite!

Muito para lá de BOM!!!!!

E mais palavras para quê ... Kings of Leon - Sex on Fire

Psstt!!! Pessoal do "2".
Faz ou não faz recordar outros tempos!!!
Muito bom!

Aiiii a nossa Vidinha!

(transcrição do texto da educadora da I., que recorde-se tem apenas 13 meses, no caderno que reporta as aventuras da semana)

Episódio da semana: Dia 15 de Outubro pelas 16h40
I. e C. estão a brincar com a girafa e entram em conflito ... cada uma puxa para seu lado o brinquedo e gritam em sintonia!
A X. decidiu intervir passados alguns minutos de gritos e colocou o brinquedo no meio das duas dizendo que podiam brincar as duas ao mesmo tempo. Resultou durante 1 minuto.
A C. voltou a gritar, mas já não tinha hipótese ... a I. resolveu muito bem o problema, sentou-se em cima da girafa, e olhava para a C. com ar de vencedora!
Esta menina ainda vai dar muito que falar!
(Nota da mãe: É EXACTAMENTE AQUI que o orgulho maternal do desenrascanço se começa a desvanecer, visualizando o feitiozinho jeitoso da bicha, que como os fieis leitores já calculam advém ... inteiramente... do pai.)
E continua a X.
Já dizia a mana M. "Temos pena!"
Ai pois vamos ter, vamos!!!!

E perante o esplendor

... da selecção portuguesa, com uma derrota de se bradar aos ceús em Lisboa, um empate ranhoso na Suécia e outro absolutamente vergonhoso em Braga, só resta dizer:
GANDA QUEIRÓS!
E sim, eu era daquelas que gostava do Scolari, e desde sempre me pareceu a contratação deste homenzito duma pobreza imaginativa sem fim.
E cá estão os resultados ... e o burro era o outro, sim senhor.

AAAAAHHHHHHHHHHH!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!

Agora sim está tudo explicado!
Afinal a ausência de comentários é menos significativa do que inicialmente pensava.
As tais 500 visitas (que nesta semana ascenderam a 625) são um número acumulado. AAAAAHHHHHH!!!!!!!!!!!!!!!!!
Assim sim já se percebe muito melhor que os 125 que andaram por aqui só na semana passada não tenham tido nada para comentar. AAAAHHHHHHH!!!!!!!!!!!!
Pois é... muito mais claro...afinal foram só 125.

Já agora este é o meu 100º post.
E só por isso parabéns a mim, por ter conseguido manter este cantinho na blogsfera tão recheadinho.
Obrigada!! (respondo também eu, com a devida vénia e lagrimita no canto do olho).
Afinal não é todos os dias que se comemoram efemérides.
Adeusinho e voltem sempre.

Oferecem-se!!!

Entradas grátis para a 1ª Feira Mundial de Cooperativas que tem estreia,no nosso país, mais concretamente em Lisboa, nas instalações da FIL - Parque das Nações, no próximo dia 23 de Outubro. Para solicitar entradas gratuitas, direccione e-mail para aqui .

"Destruir depois de ler"

Assim se apelida o novo filme dos irmãos Cohen.
Não sendo um filme brilhante, tem diálogos fantásticos como só os Cohen conseguem escrever, magnificamente interpretados pelo George Clooney, Brad Pitt e Frances McDormand.
Não é o Fargo, mas a Frances brilha na mesma e os meninos bonitos de hollywood, mostram uma vez mais que não são só uma carita (e restantes apetrechos) laroca.
Vale por 2 horas em que a gargalhada se solta facilmente.
Eu gostei e recomendo.

Este post é só para vos confirmar

a maravilhosa peste que é a minha filha maior.
Para que não restem dúvidas, a M. mencionada é a minha.
Ide ver aqui.

Ora a bem dizer ...

foi realmente de grande inteligência dar, apenas alguns dias após uma conversa com a educadora da minha filha mais velha sobre a utilização da palavra "porra" por parte desta ultima no decorrer da aula de dança (herança comprovada da mãe, que é uma ordinadora e usa frequentemente esta expressão do léxico popular) o nome que dei ao meu anterior post.
Ainda para mais quando a referida educadora tem no seu blog (visivel a todos os pais da sala, outros pais com meninos no infantário, e restantes) um feed com o título do nosso ultimo post.
uuuuupiiii, agora sim, é que eu estou mesmo bem vista na escola das pimpolhas, com um "Ca merda" bem visivel no blog da sala, vai lá para quase uma semana.
Haja Deus, que me deu a faculdade de fazer sempre cagadas melhores do que a primeira.
E então resto de bom dia para todos vocês ... os tais ... aqueles ... sim, esses .... esses que são aos magotes nas visitas, mas escassos como o caraças nos comentários.

'Ca merda!*

Mas com a semana de cão que esta se está a tornar, quem é que tem criatividade para pensar em sinopses!!!!!!

* ou parafraseando o brilhante inicio do exercicio em sala da CC, no sábado passado, quando nos pedem um texto de 10 linhas, em 15 minutos, sem utilizar a sempre confortável e disponivel, diria mesmo, sempre à mão, muleta do "que".
C.C. se estiveres por aí, fica sabendo que estou contigo! E não abro!

PS - E não fosse o Sófa Verde do NCS no Rádio Clube, num dos dias desta semana, e até acabava este post com um smile, mas assim sendo vou prescindir ....

Todos ao S. Luiz! É já amanhã

Ah pois é !
O nosso Rui lá vai amanhã apresentar-se ao vivo e a cores com a piada que lhe conhecemos.Por isso, depois dos vossos (espero eu!!!) votos em massa blog do programa emitido pela Antena 3, espero ver-vos amanhã no Teatro S. Luíz às 22 horas, para a primeira ronda das 3 que elegerão o mais interessante novo cómico do ano ... que obviamente será aqui o nosso amigo Rui Rosa, vão não esqueçam que é para depois não estarem a bater palmas ao gajo errado - Rui Rosa ... repitam lá Rui Rosa ... isso mesmo agora é repetir até amanhã para não esquecerem.
Ah, e nem o preço do bilhete serve de desculpa, que são só uns míseros 7 euros.

Vá fico à espera ... e não se esqueçam de ir repetindo ao longo do dia:
RUI ROSA
RUI ROSA
RUI ROSA

Mas andam exactamente aonde??????

O sitemeter todas as semanas me apresenta relatórios de visitas cada vez maiores.
O último atingia quase as 500 visitas por semana.
Mas se é assim aaaaonde é que anda esta gente?
Uma coisa é certa: nos comentários é que não é concerteza!
Apre!

Eles que se cuidem que ela já a sabe toda!

Ontem quando fui buscar a M. e na nossa tradicional conversa sobre como correu o dia dos vários elementos da família, a Sra. Dra. M. sai-se com esta, quando abordando a questão das brincadeiras durante o dia:

M. - Já não gosto do Di. (que ela diz que é o seu namorado).
Mãe - Então porquê? Zangaram-se? (pergunto sempre na perspectiva da mãe inocente que depois acaba sistematicamente estas trocas de conversa de cara à banda.)
M. - Não.
Mãe - E então? (volto a insistir feita burra)
M. - Olha mãe, eu gosto dele (entenda-se ainda como namorado). Mas tive de lhe dizer que ele também tinha de brincar com os amigos dele, porque eu não podia brincar com ele.
Mãe - :S

E pronto....
Se por um lado consola-me o facto de que, pelo menos, por enquanto, esta filha vai bem encaminhada para que nehum gajo lhe faça o filete. Por outro estas abordagens feministas e independentistas aos três anos antecipa-me preocupações ...gulp,gulp ... dificeis...
Aiiiiiiiii!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!

Benvinda X.!

Ontem foi novamente dia de reunião de pais.
Depois da sala da M., com a sempre eficiente e descontraida I., foi altura de ficar a conhecer melhor a X. , a nova educadora da nossa I.
Apesar de "muito nervosa" como ela própria nos confessava no final da reunião, a X. apresentou na íntegra, aquelas que são as qualidades da restante equipa do Piloto Diese, e que todos os dias nos deixam o coração totalmente descansado porque sabemos que os nossos pimpolhos ali estão "entre família".
Pois é, a X. mostrou simpatia, carinho, dedicação, vontade de os ajudar a crescer, tudo num clima que lhes fomenta a auto estima e a confiança, e que certamente os ajudará a construir personalidades mais optimistas e felizes.
E isso é tudo o que mais se quer!
Para uns papás como nós, cuja experiência educacional está assente no fantástico trabalho que a I. vem desenvolvendo nos ultimos 3 anos com a M., e por isso com as expectativas ao rubro para mais esta aventura educacional e formativa, a X. está totalmente aprovada (como aliás nem podia deixar de ser!).
É por isso que estamos certos de que o ano vai ser mesmo FABULOSO tanto na sala da I. como na sala da X., as pimpolhas vão continuar adorar a escola, e os pais babosos agradecem!

Agora só falta mesmo cobrar da X. (e mesmo da F. - que ontem tambem partilhou a reunião) um blogzito para acompanharmos as delicias das fofuras.... se for necessário esta mãe está disponivel para ajudar à dinamização da coisa na blogsfera.

E para finalizar Benvinda X. à grande familia desta magnifica escola e à nossa pequena familia onde as educadores e auxiliares tem um cantinho de carinho tão, tão importante.

Casal pré meia idade num concerto perto de si!

O pior foi ter-lhe (re)tomado o gosto!
E agora é vê-los feitos doidos na animação musiqueira.
Esta será mais uma semana de loucos em gestão parental de pimpolhas a dormirem em casas de avôs, e dias seguintes de rastos no escritório, mas pronto, tinha mesmo de ser, e quando assim é .....

o yeah!!!!!

Ahhhh!!!!!!!!!Pensavam que eu estava a brincar ...

Eis pois a prova ...

Optei foi antes por um caffé Latte, que estava mais apropriado ao meu estado de espírito.
E meus amigos, soube-me tããããoooooooooooo beeeeeeemmmmmmmmmmmmmmm!

Aos anos que eu ansiava por este momento!

Não... mas é que era aos anos mesmo... UUUUIIIIIIIIIPPPPPPPPPPPPPIIIIIIIIIIIIIIIII!!!!!!
STARBUCKS em Portugal UUUUUUUUUUUUUUIIIIIIIIIIPPPPPPPPPPPPIIIIIIII!!!!!!
A única coisa ranhosa e pouco característica da cadeira dos melhores cafés e bebidas do género, é estar dentro dum centro comercial (BUUUUUU!!!!!!!!) mas sempre é melhor do que nada.

E agora se me dão lcença vou até ali beber um frappucino, e já volto.

Desafio #3 de Mobilidade Intelectual

Palavras a utilizar: África, Preto, Fotocópias, Batedeira, Tartaruga

"Encontro-me sentada no sofá. Almofada a imitar pele de tartaruga ao colo. Na RTP Africa dá uma repetição do Rota dos Tachos, com o cozinheiro preto mais de alma do que de cor, porque esta aproxima-se mais do café com leite, sempre envolvido na confecção artesanal das iguarias tipicas.
Hoje o menu compõem-se por um bolo, que ele insiste em bater com uma arcaica vara, enquanto refastelada no meu sofá, e numa atitude tipicamente ocidental, penso em como tudo aquilo seria mais fácil com uma batedeira eléctrica.
Nestes entretantos de meditação fútil, o apetite voraz pelos doces que tanto me caracteriza, impele-me a uma incursão gastronónima.
Seria uma boa situação para dizer - Ambrósio apetece-me algo.

Mas como o Ambrósio está de folga e o meu apetite tambem come com os olhos, tiro da prateleira o dossier e pego nas fotocopias de receitas de bolo. Faço a minha selecta escolha. Verifico os ingredientes, e satisfeita por os ter todos ao meu dispôr, meto mãos à obra."

Ò p'ra eles a ver se me quebram ...

Ai ele é assim, então toma lá!
( em resposta a mais um desafio de escrita do N. agora com este magnifico set - Surf, caneca, social, pirilampo e vaso)

"Já não é de agora que sei que o álcool não me assenta bem. Acabo sucessivamente em situações algo estranhas e mesmo destabilizadoras da convicção forte que tenho de que sou uma miúda calminha e bem comportada.
É por isso, que em situações de âmbito social, ou melhor, sobretudo nessas, evito os copos e as canecas inundadas pelos néctares dos deuses.
Mas a passada sexta feira, trouxe circunstâncias especiais, que me forçaram a baixar a guarda estóica da abstinência, e deliciar-me nos prazeres noctívagos do superior Licor Beirão.
Conclusão: a poucas horas da manhã dar a noite por terminada, sentada na areia da praia perto de casa, jurava a pés juntos que no mar, estava um pirilampo verde a fazer altas manobras de surf.
Isto enquanto sentada ao meu lado, a minha amiga Joana me perguntava:

- Mas onde é que foste buscar o vaso que tens metido na cabeça?!
É por causa destas coisas que não gramo o alcóol."

Humppppffff ... não é grande coisa, mas lá que responde ao desafio, responde ... ora toma.

Desafios de mobilidade intelectual

Da sessão de sábado do curso que estou a frequentar ficou-me um exercício que sendo eventualmente dificil de desenvolver num primeiro impacto, obriga a um exercicio mental de escrita bem interessante.
Em resumo, o jogo consiste em pedir 5 palavras a uma(s) pessoa(s) e a partir daí construir pequenas estórias ou contos.
Como estes exercicios só me fazem é bem, pedi ao N. que me desse 5 palavras para eu incorporar numa brevissima história.
As palavras foram: Masculino, Telefone, Rebuçado, Cores e Incêndio
E o resultado foi este:

"Desta vez tinha sido mais fácil, e menos doloroso.
O edifício era somente de escritórios e àquela hora, não devia encontrar-se ninguém no interior.
À excepção do segurança, pensou enquanto descascava o papel do rebuçado de menta, sem qualquer réstia de desconforto perante a possibilidade de ceifar uma vida humana.
Olhou para o incêndio que tinha acabado de atear e deslumbrou-se com a bela dança de cores intensas.
Pegou no telefone da cabine, como o artista apaixonado pela sua obra prima, e premiu as teclas gastas, num familiar jogo de números.
Do outro lado atende uma voz masculina:
- Já está! – responde com firmeza, certo do trabalho concluído e da satisfação do cliente final."

Agradecem-se comentários e até sugestões de palavras (conjunto de 5) para novos exercicios mentais.
Fui ....

Quando o cerebro desliga ...

solta-se o balanço intenso do corpo, inebriado pelas sonoridades nórdicas.
É tão bom não pensar em nada!


Lyckee LI - Youth Novels

Não tenho heróis... mas se tivesse agora estaria a chorar pela morte de um

Hoje, que a manhã se revelou trabalhosa e que a noite antecipa as emoções dum grande derby, descubro com desconforto, e mesmo alguma tristeza, que ontem, aos 83 anos de idade e depois de 50 anos de carreira, morreu um dos grandes ícones do cinema americano. E um dos poucos de que eu realmente gostava.
Para os que lhe conhecem somente os filmes de final de carreira, com fracos argumentos e sustentados em parcerias com os meninos bonitos do momento, deixo-vos algumas referências obrigatórias do cinema americano dos anos 50,60 e 70: The long Hot Summer, Cat in a Hot Thin Roof, Butch Cassidy and the Sundance Kid e The Sting.

Paul Newman
26 Janeiro 1925 - 26 Setembro 2008

OK ...

que é giro e tal, eles serem espigadotes, mas isto assim já é demais!
Hoje, e para esquecer a imensidão do tráfego matinal, viemos numa conversa sobre as "tontarias" familiares. Conversa vem, conversa vai, e está a M. e o pai a tentarem recordar situações especificas que ilustrassem bem esse epíteto tão familiar lá em casa - o(a) tonto(a). Neste contexto, e abordando em concreto a Seu Dona I. e a suas rotineiras diabruras, diz-lhe o pai:
Pai- E então da I?! Diz lá tu uma tontice que ela tenha feito, que tu também sabes.
M. - Eu cá disso não sei nada!O que eu sei é das vezes que voces são maus para ela. Porque ela é um bébé lindo, e vocês é que ralham muito!
Ora que isto?!.......................

Apoiar os Amigos!

Um grande amigo aqui da casa, está a votos no Cómicos de Garagem.
Assim, a gerência agradece a vossa visita aqui e o precioso voto em Rui Rosa ou em 2omens1nourónio.
E se forem muito picuinhas, e a minha garantia da qualidade do moço não vos chegar, podem sempre ir ouvir os ficheiros em arquivo.
Pessoal politólogo ... sim, é o nosso Rui, o Rosa, o Castro Rosa, por isso toca a votar, que só pelos anos de Lusofona, o rapaz merece.
VOTEM!

Dias Complicados

A última semana e o inicio desta trouxe (des)complicações adicionais à minha vida já de si um tanto ou quanto desorientada.
Situações que finalmente parecem encontrar uma solução viável, obrigam a negociações dificeis, tendo em vista um melhor futuro.
O inicio dum novo projecto de realização pessoal, e quem sabe profissional.
A Cooperativa com (é quase estranho dizer isto) excesso de trabalho para o restrito núcleo que a conduz.
Viagens Lisboa-Faro, mais que muitas.
Logisticas infantis de considerável atribulação. Desconforto parental e absoluta vontade de parar e simplesmente gritar AAAAAAAHHHHHHHHHHHHHHHH!!!!!!!!!!!!!!!!
Valha-me a lambisgóia maior, que no sábado, após um momento de absoluta identificação com o seu modelo de eleição feminino (desenganem-se que não é a mãe, é mesmo a educadora!), e um obrigatório regresso ao hipermercado para comprar o dossier do Pocoyo "grande" com tem a I, e "com folhas" como tem a I., e com "aquelas coisas de plástico" como tem a I. (safa..., o que vale é que eu gosto bastante da I.!), se sai com mais esta preciosidade:

Na fila, já com o dossier no tapete rolante, aguardar a nossa vez.
M. - Oh mãe, podes-me sentar ali em cima?
(no tapete das compras, entenda-se)
Mãe - Não, porque ali não é sitio para os meninos se sentarem.
M.- Pois não (diz entre risos) porque senão a senhora ainda acha que eu sou para pagar! - e lança para o ar as suas ruidosas gargalhadas, enquanto com os braços simula o acto da passagem da compra pela máquina de leitura do código de barras.
Mãe - :S

aiiiiiiii!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!

PARABÉNS A VOCÊ


Hoje no ceú milhões e milhões de pipocas coloridas festejam o primeiro aniversário desta sua fantástica congénere.
PARABÉNS I. pelo teu primeiro ano de uma vida muito feliz!
BEIJOCAS GORDAS PIPOQUINHAS!

Rectificação ao post anterior

Em Estágio para se tornarem um dupla UNIDA e invencível!
Olhem pois as evidências:

- Ontem na sala, depois da mãe rispingar com a I. por uma palermice que a mesma estava a fazer-
M. - Oh mãe, porque é que vocês se zangam com ela? Ela é muito bonita! Não porta mal! (virando-se com careta de tonta para a irmã) É um bébé muito bonito, não é, I?! (enquanto a I. arreganha as gengivas de contentamento e risota)

- Hoje pela manhã, enquanto esperavamos que o pai passeasse a cadela para virmos para a escola -
Mãe (para a I.) - olá sua pipoquinhas gorda, está boa?!
M. (corre até à irmã, que estava na sua cadeirinha, e senta-se ao pé dela - tom de voz muito meiguinho e ternurento) - Não é nada! A mamã tá a brincar com a pipoca. A I. é uma pipoca pequenina (e afinfa-lhe uma beijoca no pé descalço, enquanto a I, como sempre, se derrete na risota).


Em estágio ...

... para se tornarem numa dupla invencível!
Enquanto a I., naturalmente irrequieta, e mais ainda quando a tentam pôr a dormir, se deslumbra em total silêncio e quietude a ver o anúncio da Caixa com a Mariza (queres ver que temos fadista?!), a M. no meio duma conversa absolutamente sem nexo, pergunta-me com o seu ar gozão:
M. - Mas tu achas que eu sou algum bébé?! Achaaasssssss?!
Se a coisa continua assim, acho que me interno!

Os tótos estão decididamente em alta!

Durante anos foram os gajos gozados, os ratos de biblioteca, os cromos da polo com 3 botões (sim N. em muitos aspectos estavas lá!), e agora olha sairam à rua, pegaram nas guitarras, nos orgãos electricos e nos sintetizadores, interiorizaram os anos a ouvir as mais variadas influencias musicais e cá estão eles ao rubro.
Já os Vampire Weekend são o que são, estes então ... mas olhem eu cá gostei de que ouvi. O vídeo do you tube não é garnde espigarda, mas visitam o myspace da banda que são capazes de se surpreender - Passion Pit


Os dias seguem ....

dificeis.
E as segundas feiras, num sentimento até aqui à uns meses incaracterístico para mim, têm o sabor amargo de voltar para, como diz o outro, "onde [definitivamente] não quero estar".
Mas hoje o meu humor cabisbaixo de inicio de semana, deparou-se pela manhã com uma situação que me obrigou ao riso fácil e definitivamente a uma disposição diferente.
Quem geralmente acolhe a M. na escola é a Elsa, que carinhosamente a trata por Pulga, e sistematicamente tenta alterar o "humor de cão" que caracteriza a M. pela manhã (ou melhor pelos primeiros 10 minutos, que depois a brincadeira é tanta que ela até se esquece que estava aborrecida com o Mundo).
Hoje, quando chegámos estavam todos os meninos "maiores" no recreio, sentados a ouvir uma história. Próxima da entrada estava a M., mais uma das fofas da sala da Inês, e elemento proeminante do gang a que a minha lambisgoia maior pertence, e por vezes, ao que consta, lidera, que ao ver a sua amiga a chegar, exclama com grande satisfação:
M.(2) - Bom dia Pulga! - Tal e qual como a Elsa costuma fazer!
Não resisti à gargalhada, e a deixar a boa disposição fluir-me nas veias.
Hoje, só por isto, vai ser de certeza um dia melhor!

Elogio ao Pai

Este foi sem dúvida um fim de semana murcho. Passou depressa demais e sem tempo para passeios ou iniciativas familiares de acentuado regojizo.
Foi no entanto marcado por um ou dois eventos familiares de destaque na nossa rotina.
O primeiro deveu-se directamente à I. que cada vez mais opta pela postura vertical, e neste fim de semana deu já grandes "passeatas" pelos seus próprios pés, ainda que sempre acompanhada pela mão segura dos papás e da mana. O segundo se bem que igualmente pró I., não contou, para seu grande desconforto, com o seu apoio directo, prendendo-se com a tarefa colectiva de criar uma decoração personalizada para os lençois do catre da dita pimpolha.
E é precisamente no decorrer desta tarefa que consistiu, entre outros, em recortar algumas dezenas de bolinhas de várias cores e de diferentes tamanhos, que a M. olhando atentamente, para o trabalho que o pai estava a fazer, se sai com esta magnifica preciosidade:
M. - Oh pai, estás um giraço a fazer este trabalho. Ai tás, tás!